Por Luciana Boiteux, Maíra Fernandes. Aline Pancieri, Luciana Chernicharo

Diante do aumento do encarceramento feminino no Brasil nos últimos anos (567,4% em 14 anos), o Grupo de Pesquisa em Política de Drogas e Direitos Humanos do Laboratório de Direitos Humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro realizou uma pesquisa com mulheres em situação de maternidade em duas unidades prisionais femininas do Rio de Janeiro.

Dentre as mulheres em situação de maternidade entrevistadas pelo grupo, quase metade delas responde por crime de tráfico de drogas (46,3%), sendo que 44% delas ocupam posições periféricas no mercado da droga (mulas e consumidoras).

A pesquisa ainda investiga as condições a que essas grávidas estão submetidas dentro do sistema carcerário, com queixas de atendimento médico precário, falta de qualidade da água e de higiene.

Registe-se para recever as Alertas mensais do IDPC e obter informação sobre questões relacionadas com as políticas de drogas.