Em Outubro de 2011, o Fundo Global de Combate à SIDA, Tuberculose e Malária (o Global Fund) abordou a Rede Euroasiática de Redução de Riscos (EHRN) relativamente a diferentes tipos de agulhas e seringas e a possibilidade de influenciar a transmissão do VIH entre pessoas que injectam drogas (UDI’s). Enquanto que as descobertas emergentes sugerem que uma mudança para seringas low dead-space (LDS) possa ter um importante impacto no VIH, tanto o Global Fund como a EHRN reconhecem que essa intervenção só pode ser bem-sucedida se for totalmente informada por – e completamente apoiada por – utilizadores locais, levando em consideração as suas necessidades, preferências e os mercados de droga locais, e onde possa ser assegurado o fornecimento de novos produtos de confiança a um custo similar às seringas existentes.

De acordo com o Grupo de Referência da ONU sobre VIH e Uso Injectado de Drogas, existe o número estimado de 3,7 milhões de UDI’s na Europa do Leste e Ásia Central, tendo a Europa do Leste a prevalência regional mais elevada do mundo de uso injectado de drogas. Pensa-se que cerca de um quarto desses UDI’s vivem com VIH. De acordo com o acima exposto, as Secretarias do Global Fund e a EHRN acordaram em conduzir uma breve avaliação da situação dos tipos de agulhas e seringas que são procuradas e fornecidas através dos programas de trocas de seringas (PTS) e farmácias na Europa de Leste e Ásia Central. O objectivo global era o de examinar oportunidades de introduzir seringas LDS, e informar futuros esforços de políticas e advocacy. A breve avaliação de situação foi conduzida pela EHRN em Novembro e Dezembro de 2011, e os resultados estão resumidos neste relatório.

Registe-se para recever as alertas mensais do IDPC e obter informação sobre questões relacionadas com as políticas de drogas.