As autoridades de estado russas estão a causar intencionalmente a um grande grupo de pessoas (cerca de 1,7 milhões) dor física severa, sofrimento e humilhação, com o propósito de as castigar por usarem drogas e para intimidar e coagi-las relativamente à recaída.

Isto desconsidera completamente a natureza crónica da dependência e as descobertas científicas que apontam a total ineficácia das medidas punitivas no alcance dos objetivos para as quais essas medidas são oficialmente usadas (i.e., protecção da segurança e saúde públicas).

Ao mesmo tempo, a nível legislativo e nos níveis políticos mais altos, o estado impede a implementação das medidas que eliminariam a dor e o sofrimento das pessoas dependentes, ajudariam a prevenir a propagação de perigosas infecções e doenças e reduzir a mortalidade, e iriam reduzir significativamente os gastos do Governo assegurando a concordância com as suas obrigações internacionais na protecção dos direitos e liberdades.

Mantenha-se a par dos desenvolvimentos das políticas das drogas subscrevendo o Alerta Mensal do IDPC.