Uruguai - A maconha legal no Uruguai será vendida "em pacotes normais" de 10 gramas sem publicidade e com uma série de indicações nas quais constarão informações sobre a composição e os efeitos, disse nesta segunda-feira o secretário-geral da Junta Nacional de Drogas, Milton Romani. Os pacotes de cannabis recreativa não estarão à vista do público nas farmárcias que o comercialização e estas poderão armazenar uma quantidade de maconha determinada por semana, quantidade que não foi estipulado ainda, acrescentou Romani.

O fato do estoque ser cotado semanalmente ocorre porque o usuário também tem um limite de compra semanal de 10 gramas (40 por mês). Apesar de ainda não ter sido fixado o preço, está previsto que a grama seja comercializada a US$ 1,2 (R$ 3,9) e que os estabelecimentos a adquiram por US$ 0,9 (R$ 2,9).

A Junta Nacional de Drogas (JND) não nega que além das farmácias a maconha será vendida em outros tipos de estabelecimentos, embora a preferência seja por farmárcias que visem a "promoção à saúde". O Estado uruguaio habilitou duas empresas, Iccorp e Simbiosys, para a produção de maconha recreativa. A porcentagem de distribuição que corresponderá a cada firma no mercado local serão "reguladas entre elas", disse Romani.

Leia o artigo completo.

Registe-se para recever as Alertas mensais do IDPC e obter informação sobre questões relacionadas com as políticas de drogas. 

Thumbnail: Flickr CC Dank Depot