Políticas públicas que impõem sanções criminais para o consumo pessoal de drogas minam direitos humanos básicos, declarou hoje a Human Rights Watch. Para impedir o consumo prejudicial de drogas, os governos devem contar com políticas reguladoras não criminais e de saúde pública.

Os governos também devem tomar medidas para reduzir os impactos sobre os direitos humanos das políticas atuais de produção e distribuição de drogas, afirmou a Human Rights Watch.

As convenções internacionais sobre drogas devem ser interpretadas e, sempre que necessário, revistas, para que não proíbam ou desmotivem os governos a adotarem políticas para reduzir os custos relacionados aos direitos humanos, disse a Human Rights Watch.

A 43a Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos, realizada em Antígua, Guatemala, de 4 a 6 de junho de 2013, é focado a política de controle de drogas nas Américas.

Leia mais sobre esse assunto.

Registe-se para recever as Alertas mensais do IDPC e obter informação sobre questões relacionadas com as políticas de drogas.