A Ação Comunitária para Redução de Danos (Community Action on Harm Reduction) (CAHR) é um projeto ambicioso visando expandir serviços de redução de danos para mais de 180.000 usuários de drogas injetáveis, seus parceiros e crianças na China, Índia, Indonésia, Quênia e Malásia por um período de quatro anos.

O programa, liderado pela Aliança Internacional sobre HIV/AIDS (International HIV/AIDS Alliance), é implementado por um consórcio de Alianças ligando as organizações: Aliança Internacional sobre HIV/AIDS na China, Aliança Internacional sobre HIV/AIDS na Índia (International HIV/AIDS Alliance in India), Rumah Cemera (Indonésia), KANCO (Quênia) e o Conselho de AIDS da Malásia (Malaysian AIDS Council).

O programa envolverá pessoas que usam drogas na elaboração e execução dos serviços, e está desenvolvendo planos em advocacia para modernizar os direitos humanos das pessoas que usam drogas. Há um forte foco na capacitação de organizações comunitárias e no compartilhamento sobre o que funciona.

O IDPC é um parceiro técnico deste projeto, junto a diversas outras organizações nacionais e internacionais: Alliance Ukraine, Fundação Leste Oeste de AIDS, Conexões de Saúde Internacionais, Redução de Danos Internacional, INPUD e Prevention Information et Lutte contre le Sida.

O IDPC será responsável por engajar governos nacionais em advogar pelo estabelecimento de um ambiente propício para o fornecimento de serviços de redução de danos. O IDPC vai focar principalmente no Quênia, na Malásia e na Indonésia no primeiro ano do projeto.

A Ação Comunitária para a Redução de Danos (CAHR) foi possível devido à subvenção do governo holandês. O projeto contará com a experiência própria da Holanda, onde a redução de danos provou ser uma abordagem bem sucedida e de custos eficientes na prevenção do HIV/AIDS.

Notícias:

Entre Fevereiro e Maio de 2011, o IDPC participou de uma série de visitas de avaliação à Malásia, Indonésia e Quênia. O objetivo dessas visitas era ganhar uma compreensão contextualizada da situação da política de drogas e redução de danos nesses países. As visitas também foram uma oportunidade importante para encontrar parceiros locais e governantes.

Essas visitas de avaliação foram seguidas de atividades advocatícias em cada um dos seguintes países:  

  • Na Malásia, o IDPC organizou um seminário sobre desvios e reuniu-se com o Conselho de AIDS da Malásia e a AADK, a agência governamental de controle de drogas sobre desvios e tratamentos de dependência de drogas. O IDPC também organizou uma oficina e encontros para discutir oportunidades advocatícias no país.
  • Na Indonésia, o IDPC reuniu-se com organizações locais e nacionais da sociedade civil para discutir sobre as oportunidades em advocacia para o ano seguinte. O IDPC também se reuniu com a BNN, a agência de controle de drogas da Indonésia e o escritório do UNODOC na Indonésia sobre desvios.
  • No Quênia, o IDPC participou da Conferência Internacional sobre HIV/AIDS e DSTs na África (ICASA) e organizou uma oficina e um encontro para ONGs se juntarem para discutir sobre as oportunidades em política de drogas e redução de danos na região. A ICASA também foi uma oportunidade para entrar em contato com os elaboradores de políticas quenianos. No próximo ano, o IDPC vai trabalhar colaborando em proximidade com a KANCO para advogar por uma política de drogas baseada em evidências. Para mais informações a respeito do Quênia, por favor visite o blog da Aliança sobre AIDS.

Sumário do IDPC  – Respostas políticas à questão das drogas na Malásia