Um dos aspectos mais importantes do trabalho do IDPC está relacionado à participação de nossos membros nos debates e processos de tomada de decisões que se espalham em escala internacional, tanto no seio das Nações Unidas como de outros organismos multilaterais. Graças à colaboração e ao intercâmbio de informação, podemos obter um maior impacto no campo da incidência política e influir nas posturas adotadas pelos governos. É importante que nos esforcemos o máximo possível para apoiar o processo de modernização e melhora do marco global da fiscalização de drogas, já que seu tradicional foco na dura retórica da 'guerra contra as drogas' e nas estratégias baseadas na repressão e nas penas, tem uma enorme influência no modo com que os governos nacionais (especialmente nos países em desenvolvimento) concebem e aplicam seus próprios programas e políticas.

O IDPC organiza suas atividades de incidência política internacional em torno de dois grandes eixos: o sistema global de fiscalização de entorpecentes (que abarca os acordos, as estruturas e os debates internacionais que moldam o sistema global de proibição das drogas) e a coerência de todo o sistema (que abarca a interação entre esse sistema e outros âmbitos de atividades afins das Nações Unidas, como HIV/AIDS, os Direitos Humanos e o desenvolvimento econômico e social).

Em cada um dos espaços multilaterais em que se debatem as políticas de drogas, o Consórcio trabalha com seus membros e com outras partes interessadas para identificar as possibilidades de promover políticas mais humanas e eficazes, preparar documentos de análises e recomendações para os atores que trabalham na incidência política e a formulação de políticas, e coordenar as iniciativas de incidência política.