O princípio de “Coerência Total do Sistema” foi introduzido no pensamento e na elaboração de políticas da ONU no contexto da tentativa de atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, da Declaração do Milênio em 2000. O objetivo era tornar o trabalho da ONU mais eficaz e coerente integrando e conectando as diversas áreas dentro das quais a organização é ativa (desenvolvimento, assistência humanitária, manutenção da paz, etc.). Nos últimos anos tornou-se cada vez mais óbvio que o fornecimento, distribuição e demanda de drogas só podem ser compreendidos e lidados levando-se em consideração fatores econômicos, políticos, sociais e culturais. A complexidade e natureza múltipla do problema global das drogas fazem dessa uma área em que a reação coerente entre as diversas agências e programas da ONU, assim como entre intervenções nacionais e transnacionais, se faz verdadeiramente essencial.

A coerência total do sistema é portanto um importante conceito formador de um dos pilares do nosso trabalho global de advocacia. A comunidade internacional precisa achar meios de assegurar que os interesses do controle de drogas dos órgãos responsáveis da ONU estejam adequadamente equilibrados e coordenados com outras áreas relevantes da cooperação internacional – desenvolvimento econômico e social, promoção da saúde pública (particularmente na luta contra o HIV/AIDS e a hepatite) e proteção dos direitos humanos e liberdades fundamentais. Isto requer uma coordenação muito mais próxima entre os órgãos da ONU trabalhando com estes assuntos, e o fim do isolamento do debate sobre política de drogas em uma pequena parte do sistema focada na aplicação de leis, excluindo outras considerações importantes.